quarta-feira, 26 de maio de 2010

Cadê minha bebê?

Esta semana, estava na Justiça do Trabalho e um serventuário perguntou: "Como vai sua bebê?"

Respondi sem pestanejar: "Deixando de ser bebê."

Bom, Laura saiu da minha barriga! Ainda lembro dos primeiros ultrasons, com poucos centímetros. Nasceu pequena, com 45 cm e cresceu, cresceu, cresceu...

Agora conta com quase um metro de altura e 20 quilos. Se expressa com naturalidade e pasmem, tem vontade própria.

Ando pensando em deixá-la uns dias na casa da minha sogra que mora há 300 km daqui.

Acho que elas merecem este convívio. Conversei com a Laura sobre o assunto e ela adorou a idéia de ir sem mim.

Oh céus! Se ela for, ela aguenta? Eu aguento? Como vou preecher meu tempo? E se ela não dormir a noite, sentindo minha ausência? E se ela não sentir minha ausência?

Acho que toda mãe se sente insubstituível, não tem jeito. Acho que toda mãe se sente a rainha da cocada preta, do tipo "ninguém cuida melhor da minha filha do que eu".

Bem que eu tento ser ponderada, vejam, tô até liberando a Laura para alçar vôo (mesmo que curto) longe de mim.

3 comentários:

Trícia disse...

Aquela velha história que 'filhos criamos para o mundo' deve ser aplicar bem para o coração de pessoas sem filhos.

Coração de mãe será que aguenta isso???? Acho que não!

E elas estão deixando de ser bebês...

♥ Mamãe da Ana Luiza ♥ disse...

Ai amigaaaa, como vc é corajosa! sou sua fã!
realmente: "ninguém cuida melhor da minha filha do que eu".

isso eu concordo plenamente!!! rsrsrs

Denise disse...

Nem me fale! Estou vivendo muito isso tbém. Aquela frase em que as mães querem que seus filhos cresçam mmuito e ao mesmo tempo que não cresçam nunca é a pura verdade!!