segunda-feira, 17 de maio de 2010

As aparências...

"Julgar pela aparência é como olhar um cacto.
Não se percebe a água contida em seu interior, nem a beleza de suas flores."




Infelizmente, vivemos na cultura da aparência.



Apenas para ilustrar, vou dar um exemplo: A distância da minha residência ao meu trabalho deve ser de 1,5 km. Esses dias estava pensando em vir trabalhar de bicicleta, pois assim, aliava minha falta de tempo para realizar exercícios à economia de gasolina e pagamento mensal de estacionamento particular no centro da cidade.



Sabe o que eu fiz? Desisti. Quem me contrataria ao saber que eu vou trabalhar de bicicleta? Ninguém. Provavelmente as pessoas iriam associar o fato de eu andar de bike com insucesso profissional.



Talvez em Paris, seria chique um advogado ir trabalhar, passeando, pela paisagem parisiense. Mas no Brasil....



Resolvi continuar pagando os tanques de gasolina e R$ 120,00 de estacionamento por mês. Isto é só um exemplo simples do julgamento de uma pessoa adulta por outra pessoa adulta.



Talvez se as pessoas deixassem de se preocupar tanto com futilidades e julgassem as pessoas por aquilo que elas são, e não por aquilo que representam....

Um comentário:

Trícia disse...

Sendo bem honesta:
Quem nunca rotulou alguém?
Quem nunca julgou pela aparência?

Que atire a primeira pedra quem nunca fez isso....

De qquer forma, concordo contigo no "Infelizmente, vivemos na cultura da aparência"